Artigo

O PROBLEMA É O VELHO

Exitosas foram as culturas, raças, tribos, povos e nações, que valorizaram o velho. Na cultura oriental o velho era sinônimo de sábio. Na cultura ocidental, já houve época,, que eles eram referências de experiência e discernimento, e por isso, sempre consultados, quando importantes decisões precisavam ser tomadas.
A cultura judaica cristã, sempre buscou honrar o velho. Isto está  referenciado no livro de Levítico, 19:32 "Diante das cãs te levantarás, e horarás a face do velho, e temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor". Os tempos passaram e estes conceitos sobre o velho foram, progressivamente, mudando. É certo que, o velho é um problema que prefiro chamar de desafio ou oportunidade, para a família, sociedade e governo. 
A cada dia que passa, a população mundial de velhos aumenta, dentre outras razões, por conta da melhoria de vida de alguns, mas especialmente, pela grande quantidade de medicamentos existentes, que dá ao velho, uma razoável sobrevida.
O problema é o velho!
Antes que as ordens governamentais de isolamento social, preferencialmente, para o velho, fossem endurecidas, estava na fila do supermercado e, ouvindo reclamação de duas pessoas na minha frente, sobre privilégios que o velho tem hoje: nos preços de remédios,  nas casas de diversões, lugares especiais nos transportes coletivos, em estacionamentos, excursões e, até na fila de votação..... A fila andou... , fiz o pagamento de minhas compras,.....e saí do mercado refletindo.........Já em casa, após o cafe, fui caminhar no Parque da Jaqueira (hoje fechado), e lá encontrei um ex-colega de trabalho, e caminhamos juntos. Era Jorge do Carmo, renomado engenheiro civil, que por tempo, prestou serviços a Estados do nordeste de Brasil, governo federal, banco mundial, OEA - Organização dos Estados Americanos, e em alguns países da África, projetando e construindo estradas, pontes, viadutos e túneis, alguns de grande complexidade. Terminando a caminhada, voltei para casa lembrando uma frase que, em outra oportunidade, ouvi do Jorge, dizia ele: aos 77 anos, me sinto como papel carbono (coisa de velho) bastante usado.......estou pressentido que, a qualquer momento, serei jogado na lixeira da vida......
O problema é o velho!
Nas minhas leituras de jornal impresso que assino, me deparei com notícia de que um governador de Estado teria ameaçado usar toda a estrutura da Secretaria de vigilancia sanitária do Estado, inclusive os equipamentos de catar cachorros - as famosas carrocinhas para recolher velhos, que desafiando a ordem governamental do "fique em casa" perssitiam  em andar pela ruas.
Se verdadeira a notícia,.....nada mais trágico!!!
Lembro agora que, o sentido do uso do termo velho, está no sentido de gênero, (homens e mulheres envelhecidos).  Espero assim, ter traquilizado a ala feminina.
A ideia aqui não é tornar o velho um coitadinho ou, digno de compaixão da sociedade, para em seguida, valorizá-lo exageradamente. Não, o caminho é outro, é de reconhecer que algo melhor, pode e precisa ser feito.
Está, cada vez mais perto o dia que  sociedade, incluindo a igreja, precisará fazer mais, do faz hoje pelos velhos! 
O problema é o velho
Será que o problema é mesmo o velho??
De certa forma, sim. É problema, pela visão equivocada  da família,  da sociedade, e, até do próprio velho, no trato da questão.
Penso que, para ajudar a resolver  o problema do  velho,  precisamos  vencer outro problema que nos aflige e  torna, independentemente da idade, um problema maior. 
O problema é o velho homem
Creio que o problema maior é o velho homem que ainda habita em cada um.
Esta pista quem nos dá é o Apóstolo Paulo, quando, escrevendo aos crentes em Éfeso 4, diz:
22. Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos;
23. a serem renovados no modo de pensar e 
24. a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em Justiça e em santidade provenientes da verdade.
O Problema e o velho homem!
Parece simples, mas não é!!
- Largar o velho homem e revestir-se do novo homem.
- Renovar-se, diariamente, e viver na dependência do Espirito Santo.
- Mostrar ao mundo, uma nova vida, alinhada com os ensinamentos de Jesus.
- Despir-se do velho homem, enchendo-se do Espirito Santo, e produzir frutos....
Este é o novo homem.
Como dizem os amados, lá no interior de São Paulo...... este é um Baita Desafio.
Quando membro da Evangélica Batista de Casa Amarela, um dos hinos que mais me chama atenção, era O Fruto do Espírito. Mesmo com a minha mal educada voz, gostava de cantar e meditar:

Meu coração confuso está 
Escravo sou dos meus desejos
Meu lado mau quer controlar
Meu lado bom reclama
A força má que opera assim
A morte em mim produz
Mas vida e força Deus nos dá 
Para frutos produzir

O problema não  é o velho, o problema é o velho homem!!
A ideia apresentada por Jesus naquela noite a Nicodemos, de que era....... preciso nascer de novo........ (novo homem)......, pareceu àquele doutor da lei, algo irracional e desnecessário.... Não  aceitou.....dando em sua vida,..... primazia ao velho homem.
Que fazer com o velho homem?
Revestir-se do novo homem.
Rogando a Deus, dia e noite, sem cessar, que fortaleça o novo homem que habita em nós, ..............

Pois, vida e força Deus me dá 
Para frutos produzir.

Dc Lyncoln Araújo, ex Presidente da ADBB, Diretor Geral do STBNB